Ficou Interessado?

Blog

Qual o futuro da transformação digital nas empresas?

A Transformação digital (TD) é um tema que tem ganhado grande relevância dentro das empresas e universidades. E não é para menos: a TD já tem mudado a forma como as empresas se relacionam com seus clientes, funcionários e outros grupos de interesse.

Esse processo se refere à integração cada vez maior entre mundo digital e real, fazendo com que empresas e pessoas façam uso da tecnologia. Isso implica em inovação, produtividade e automação.

Para ter ideia, o setor de RH já depende vigorosamente da tecnologia. Segundo dados da Deloitte, 56% das organizações estão reformulando seus processos de Recursos Humanos para aproveitar ferramentas digitais — como inteligência artificial (IA), big data, robótica e computação cognitiva.

Neste conteúdo, você vai conhecer as principais tendências em TD e compreender o futuro dentro das empresas. Assim, também poderá promover melhorias e traçar boas estratégias para o negócio. Boa leitura!

ERP como espinha dorsal da inovação na empresa

Há tempos, o Enterprise Resource Planning (ERP) é uma ferramenta indispensável nas empresas. Ela garante a integração dos vários setores, aumentando a produtividade e o alinhamento na execução das atividades.

Com a TD, o ERP também tem se tornado um centro de controle. Ele contribui para embarcar tecnologias de inteligência e analytics, por exemplo. Isso permite que os dados sejam estruturados e subsidiem decisões sistêmicas dos gestores.

Além de tudo, os sistemas de gestão empresarial estão cada vez mais flexíveis. Algumas opções permitem até mesmo criar e personalizar aplicações, de acordo com as necessidades das empresas.

Uso cada vez maior de dados na tomada de decisões

Em meio às transformações, o mercado tem se tornado mais complexo. Isso torna o desafio ainda maior, porém necessário aos empresários e gestores que desejam construir um negócio bem-sucedido.

De acordo com pesquisas, um adulto normal toma cerca de 35 mil decisões por dia, sendo muitas dentro das empresas. Ao usar dados verídicos e bem estruturados, além de decidir mais rapidamente, se torna factível obter sucesso.

Essa tendência de usar dados para decidir e obter sucesso está estritamente ligada ao big data, que, em tradução livre, se refere a um grande volume de dados armazenados. É preciso aprender a extrair e estruturar dados, os transformando em informação.

Desenvolvimento de Universidades Corporativas

A Universidade Corporativa (UC) é um centro de treinamento no interior das empresas, que conta com cursos a distância ou presencial. Dessa maneira, é possível usar a tecnologia para manter o time devidamente qualificado.

Essa é uma demanda latente. Segundo a Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD), os profissionais brasileiros têm apenas 22 horas de treinamento por ano. Se comparado a outros países, esse número é bem inferior.

A criação de uma UC e o incentivo ao ensino a distância (e-learning), reflexos da TD, têm contribuído para mudar o quadro. Os cursos EAD são mais flexíveis e acessíveis — por isso, ainda segundo a ABTD, apenas 76% das empresas usam o e-learning.

Incentivo à inteligência sistêmica dos colaboradores

A transformação digital não impacta apenas o surgimento de tecnologias e a reformulação de alguns setores da organização. Cada vez mais, a inteligência sistêmica (IS) é demandada.

A inteligência sistêmica diz respeito à capacidade de um indivíduo ter uma visão panorâmica ao mesmo tempo que entende as pequenas partes. É algo diferente da Inteligência Emocional e da Inteligência Analítica (identificadas nos testes de QI).

Por esse motivo, outra tendência relacionada a TD é a contratação de profissionais com Inteligência Sistêmica, bem como a implementação de programas para o seu desenvolvimento. Logo, os talentos se tornam mais adaptáveis às mudanças.

banner guia do ERP

Aumento exponencial dos aparelhos conectados à internet

A internet das coisas (IoT) é outro tema que merece destaque. Estima-se que até 2020 sejam cerca de 50 bilhões de dispositivos conectados à internet. De qualquer maneira, os impactos já são sentidos. O smartphone é uma extensão do corpo. O brasileiro, por exemplo, usa o celular por mais de três horas por dia. Nas empresas, o aparelho pode ser usado para promover treinamentos (m-learning), facilitar a comunicação interna ou acessar informações do ERP.

As possibilidades ligadas à IoT são diversas. Como óculos com realidade aumentada ou, ainda, relógios que monitoram a saúde e o bem-estar dos empregados. Por tudo isso, a internet das coisas é parte do futuro da transformação digital nas empresas.

Automação de processos nas organizações

A automação consiste na substituição do trabalho manual pelo de máquinas. A ideia não é trocar o homem, porém, aumentar a eficiência e eficácia do seu trabalho com tecnologias de ponta.

Nos dias atuais, são muitas as possibilidades de automação. Da estratégia de e-mail marketing, estocagem de produtos até a triagem de talentos no processo de recrutamento: muitas coisas já podem ser feitas com pouca ou nenhuma interferência humana. Isso traz maior produtividade e menores custos.

No entanto, a automação ainda é um ponto delicado, pois carrega o receio da extinção de postos tradicionais de trabalho. Em contrapartida, ela permite que outras atividades começam a surgir nas empresas, como gerentes de redes sociais, cientistas de dados ou operadores de drones, impensáveis há alguns anos.

Atendimento por meio de sistemas de inteligência artificial

Outra grande tendência relacionada à TD nas empresas é o atendimento por meio de sistemas de inteligência artificial. O chatbot é um primeiro passo. Apesar de operar de maneira simples, com um conjunto de respostas previamente programadas, há avanços significativos e logo poderão operar com maior autonomia.

Mesmo assim, muitas empresas já estão reformulando seu atendimento inicial. Seja pelas redes sociais, seja pelos chats no site da empresa, muitos dos atuais atendentes são robôs digitais. Isso tem impacto significativo em termos de inovação e produtividade.

Futuro da transformação digital no contexto pós pandemia

O que se espera é que grande parte das empresas invistam na transformação digital pós-pandemia, considerando as mudanças ocorridas nos hábitos e comportamentos dos consumidores nesse período, já que um número considerável de operações comerciais e financeiras que antes da pandemia eram feitas presencialmente, passaram a ser executadas de forma remota, por meio de plataformas digitais.

Dessa forma, a inserção da tecnologia nos processos passou a ser um ponto crucial para a manutenção e funcionamento do negócio, independentemente do porte e ramo de atuação. Contudo, nem todas as companhias tiveram tempo hábil para se adaptar à inovação, por isso, esse é o momento adequado para tomar as ações necessárias para se adequar a essa nova tendência.

Práticas para implementar a transformação digital nas empresas

Existem algumas medidas que podem ser aplicadas para inserir a transformação digital na companhia. Veja algumas delas!

Estabeleça o que a organização pretende transformar

É importante definir os objetivos que o negócio busca ao implementar a transformação digital, por exemplo:

  • aprimorar a infraestrutura;
  • melhorar a experiência do cliente;
  • elevar a produtividade;
  • aumentar a qualidade dos serviços realizados;
  • modernizar a empresa;
  • minimizar os custos, entre outros.

Ou seja, vários objetivos e metas podem criados pela organização. Por esse motivo, é essencial compreender onde o negócio pretende chegar.

Avalie as viabilidades tecnológicas

Pelo fato de existir diversas opções disponíveis no mercado, é preciso estudar as alternativas mais viáveis e que possam trazer melhores resultado para a companhia. Entre elas, estão:

  • Inteligência Artificial;
  • chatbots;
  • redes sociais;
  • cloud computing;
  • Big Data;
  • Internet das Coisas;
  • tecnologias para dispositivos móveis;
  • realidade virtual;
  • segurança cibernética e demais.

Estruture a companhia para receber as inovações

Após identificar as melhores tecnologias para a empresa, considerando suas funcionalidades e demanda do negócio, é preciso organizar a empresa para recebê-las. Alguns fatores relevantes nessa etapa são:

  • análises preditivas para obter insights e impulsionar soluções práticas;
  • omnichannel: representa a integração de vários canais e processos com a finalidade de disponibilizar experiências mais ágeis e aprimoradas.
  • Centralização do consumidor por meio do cloud computing, redes sociais e dispositivos móveis.

Adeque a plataforma do futuro com rapidez

É importante que as alterações realizadas que se referem à tecnologia sejam ágeis. Com isso, é possível mudar para a plataforma do futuro sem prestar a atenção devida com a estrutura que já existe. Isso significa que é possível melhorar e modernizar os processos atuais sem interferir no funcionamento do negócio.

O ideal é conseguir aproveitar os recursos já existente e, ao mesmo tempo, trazer inovações úteis para o desenvolvimento da empresa, integrando-os com o trabalho que já vem sendo executado.

Acompanhe as tendências do mercado

As tecnologias se atualizam com frequência, e para que os mecanismos implementados pela empresa não se tornem obsoletas, é importante acompanhar de perto a inovação, sempre com o intuito de se adequar à modernidade.

Então, esteja sempre por dentro e avalie como as novas ferramentas podem trazer benefício para o negócio.

Como é possível observar, há diversos caminhos correlacionados ao futuro da transformação digital nas empresas. Tudo começa, no entanto, com a implementação de um bom software de gestão (ERP). Ele funciona como espinha dorsal para operações, realizando a transformação digital de forma estrutural. Além disso, é necessário estar sempre por dentro as novidades do mercado e, dessa forma, manter o negócio sempre à frente dos concorrentes.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para compartilhar em suas redes sociais e ajudar seus contatos a entender um pouco mais sobre o assunto.