Ficou Interessado?

Blog

Como as Soluções ERP Suportam a Indústria 4.0

Por Delano Lins, Head de Negócios

MUITAS inovações incríveis estão chegando aos produtos e serviços hoje.

Uma gama impressionante de produtos inteligentes e conectados e serviços inovadores estão chegando às residências e escritórios. Hoje, as pessoas podem comprar uma geladeira inteligente que monitora a quantidade e o frescor dos mantimentos e podem reordenar a lista de compras semanal automaticamente. Os relógios inteligentes rastreiam nossas atividades e sinais vitais e podem comunicar informações importantes aos profissionais de saúde e até mesmo pedir assistência. Em muitas das principais cidades, quase qualquer produto ou serviço está a apenas um clique de distância por meio de um aplicativo de telefone – sapatos, roupas, geladeiras, automóveis, estabelecimentos de lavagem a seco, serviços de passeios de cachorro e ajuda para tarefas de projetos domésticos estão a apenas um clique.

A Indústria 4.0 é onde os mundos digital e físico convergem para dar vida a esses novos produtos e serviços. Indústria 4.0 é uma etiqueta aplicada à última era industrial e, mais especificamente, ao seu impacto nas indústrias de manufatura. Na primeira revolução industrial, a energia da água e do vapor possibilitou os processos de fabricação mecânica. Na segunda revolução industrial, casas e fábricas movidas a eletricidade, introduzindo capacidades de produção em massa. Então, computadores simples, desenvolvidos em meados do século 20, deram início à terceira revolução industrial. E agora, uma série de novas tecnologias estão tomando forma para impulsionar a quarta revolução industrial.

Algumas das principais tecnologias subjacentes à Indústria 4.0 incluem big data e análise, robôs autônomos, manufatura aditiva ou 3D, realidade aumentada, Internet das coisas (IoT), mobilidade e simulação, junto com toda a conectividade e segurança cibernética necessárias para manter tudo conectado e seguro – e em nuvem. Cada uma dessas tecnologias é incrivelmente complexa e está mudando e crescendo em um ritmo rápido. Esses novos avanços científicos apontam para um futuro de fabricação que será muito diferente do estado atual.

As soluções modernas de ERP devem ser fundamentalmente diferentes

As soluções de planejamento de recursos empresariais (ERP) são uma parte fundamental do backbone digital de uma empresa. E, qualquer empresa que deseje participar desta quarta revolução industrial deve, portanto, adquirir um sistema ERP construído para alavancar esses mesmos pilares de tecnologia que estão impulsionando a Indústria 4.0. Os sistemas ERP do passado foram construídos para gerenciar os dados estruturados de negócios necessários para administrar os negócios. Exemplos de tais dados estruturados incluem as transações financeiras necessárias para comprar e vender um produto e as definições e instruções necessárias para a fabricação de produtos. Os sistemas ERP também foram construídos para funcionar nas instalações do fabricante. E embora os sistemas ERP legados fossem construídos para se conectar a sistemas externos, o modelo de design visava centralizar todos os dados e controle dentro desses sistemas monolíticos e centralizados.

Os sistemas ERP modernos devem ser construídos fundamentalmente diferentes desde o início. Primeiro, eles precisam ser desenvolvidos para a nuvem. Um sistema ERP não deve simplesmente ser movido de uma implantação local para execução em uma infraestrutura em nuvem, mas deve ser projetado e construído para ser executado na nuvem desde o primeiro dia.

Ser um aplicativo nativo da nuvem significa que o sistema pode ser acessado de praticamente qualquer local. Estar na nuvem também significa que o fornecedor agora é responsável por todas as operações do data center, incluindo infraestrutura, segurança, redundância, backup e recuperação de dados, etc. Isso deixa o fabricante livre para trabalhar na criação, projeto e construção de produtos – não manter um data center.

O sistema ERP também deve ser arquitetado para interagir com sistemas externos com interfaces de programação de aplicativos (APIs) disponíveis para qualquer e todas as entidades do sistema. O custo extremamente baixo dos computadores e a natureza onipresente da conectividade de rede deram origem à IoT e à IoT Industrial. Agora é possível tornar quase qualquer produto um produto inteligente e conectado.

Os equipamentos de manufatura foram conectados ao processo de manufatura por meio de sensores e objetos inteligentes. Os sistemas de execução de manufatura tradicionais (MESs) estão dando lugar a operações de manufatura Industrial IoT mais sofisticadas e conectadas. Embora as operações industriais de IoT suportem a automação e o controle de chão de fábrica MES tradicionais, elas adicionam os protocolos de comunicação e coleta de dados flexíveis que são necessários para fazer interface com as operações de manufatura atuais e futuras. 

Podemos até estender a lista de dispositivos de manufatura inteligentes e conectados para drones, robôs e impressoras 3D. Uma organização de manufatura do futuro pode operar com muita autonomia desde o ponto de venda até a origem e criação do produto, a entrega e todo o caminho até o serviço prestado ao cliente. Em um futuro não muito distante, podemos imaginar o pedido de um par de sapatos do cliente por meio de um aplicativo de realidade aumentada que permite que você escolha as cores do sapato e recursos adicionais. Este aplicativo então envia o pedido para a fábrica, onde o produto do cliente é fabricado por uma combinação de materiais personalizados e uma sola impressa em 3D, todos correspondentes às dimensões exatas do seu pé. Após a fabricação, o sapato é pego por um drone e movido para as estações de embalagem, onde um robô termina a embalagem e o solta no robô do depósito, onde é movido para o contêiner para o serviço de entrega solicitado. Todas essas operações nesta futura fábrica serão orquestradas pelo sistema ERP da empresa.

Lembre-se de que a IoT não termina dentro de uma organização, mas se estende a todos os produtos inteligentes e conectados. Telefones, campainhas, relógios, geladeiras, motores de avião e o novo par de sapatos fazem parte da IoT. Em um artigo recente, o IoT Analytics estima que existem agora mais de 17 bilhões de dispositivos conectados e, desse total, cerca de 7 bilhões são dispositivos IoT. E este número continua a crescer. Os fabricantes desses dispositivos inteligentes e conectados também precisarão coletar e gerenciar grandes volumes de dados associados aos dispositivos. Isso significa que o sistema ERP também deve ser capaz de lidar com grandes volumes de dados estruturados e não estruturados e ter os mecanismos analíticos para apoiar a fabricação desses produtos quando a quarta revolução industrial ocorrer.

O habilitador chave de ERP certo da indústria 4.0

Os fabricantes da quarta revolução industrial têm na ponta dos dedos tecnologias com as quais seus predecessores só podiam sonhar. Assim como a água e o vapor impulsionaram a primeira revolução industrial, agora os dados impulsionam a quarta revolução industrial. No centro das organizações de manufatura estão os sistemas de aplicativos ERP que gerenciam esse volume cada vez maior de dados. Os fornecedores de software agora adotaram o termo data lake para se referir ao local onde todos esses dados são armazenados para serem coletados no momento certo.

Aqui, toco em uma série de características fundamentais do ERP a serem lembradas ao procurar um sistema ERP. Isso porque, se o sistema ERP eliminou alguns desses pilares da Indústria 4.0, ele garante que uma organização poderá participar dessa próxima revolução industrial.

A forma ou pegada exata do sistema ERP do futuro pode ser diferente para cada organização. Por exemplo, um fabricante de roupas precisará de um ERP que tenha componentes diferentes do sistema ERP de um fabricante de portas personalizadas. Mas, independentemente dos componentes exclusivos, o sistema ERP precisa ser construído com os pilares de tecnologia acima em mente para que possa ser um capacitador chave para um fabricante que deseja fazer parte da quarta revolução industrial.