Ficou Interessado?

Blog

4 indicadores de desempenho financeiro que você precisa acompanhar

Você já ouviu falar que vivemos a época dos dados? Pois essa é a realidade das empresas que buscam melhores resultados, prática que necessita da aplicação dos indicadores de desempenho financeiro. Com as métricas, é possível agilizar os processos e ainda evitar erros nas tomadas de decisões.

Para você obter um conhecimento sintonizado nessa tendência, elaboramos este post com quatro indicadores que farão a diferença no seu negócio. Mas, antes, vamos entender mais sobre o assunto. Boa leitura!

Descubra o que são os indicadores de desempenho financeiro

Os indicadores de desempenho financeiro são métricas que avaliam a situação econômica de uma empresa, desde o capital investido até o fluxo de caixa. Dessa maneira, é possível utilizar as informações obtidas em um software para analisar determinadas situações, como a manutenção de algum produto ou serviço ou possíveis novos investimentos.

Com eles, o gestor ganha “um parceiro” no controle orçamentário, podendo reduzir custos e aumentar a produtividade com otimização do tempo. Assim, o negócio fica mais competitivo e evita perdas financeiras, aspecto importantíssimo em momentos delicados da economia, como o atual, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Conheça os principais indicadores de rentabilidade

1. Margem líquida

A margem líquida é o valor do que restou das vendas após o pagamento de todas as despesas, incluindo impostos. Dessa forma, quanto maior for a margem líquida, melhores serão os indicadores de vendas. Portanto, ela é fundamental para a manutenção de um negócio. O cálculo acontece da seguinte maneira:

Margem Líquida = (Lucro Líquido/Receita de Vendas Líquida) x 100

2. Retorno sobre o Investimento (ROI)

O ROI é amplamente difundido nas conversas entre empreendedores e gestores. Trata-se da relação do dinheiro lucrado ou perdido proveniente de um investimento.

Como exemplo, podemos citar uma automatização em determinado setor da empresa. Se houve um investimento de R$ 200 mil e os processos passaram a produzir mais em pouco tempo, aumentando a margem de lucro, o ROI ficou positivo. Por isso, ele demonstra o potencial da geração de lucros, sendo calculado assim:

ROI = (Lucro Líquido/Ativo Total) x 100

3. Custos fixos e variáveis

Representando as despesas fixas, como energia, água, aluguel e pagamento dos funcionários, os custos fixos são aqueles que acontecem inevitavelmente todos os meses. Podemos incluir, ainda, os impostos em todas as esferas, as contribuições sindicais etc., ou seja, eles não variam de acordo com a produção.

Já os variáveis, como o próprio nome diz, alteram-se ao longo dos dias, meses ou anos. Por exemplo, se a sua empresa passar a produzir mais em determinado período, inevitavelmente, terá que gastar um valor maior com matérias-primas.

Assim, os valores dependem do volume produzido. Nesse custo, entram também situações adversas que geram gastos, como a manutenção de uma máquina.

4. Ponto de equilíbrio

Sendo um dos principais indicadores de desempenho financeiro, o ponto de equilíbrio é o número de receitas mínimas para cobrir os custos e as despesas. É como obter o equilíbrio na vida, nivelando todos os aspectos. Ao conhecê-lo, o gestor saberá quanto precisa vender para cobrir os gastos, ficando no “zero a zero”.

Com os dados em mãos, é possível manter a sobrevivência de uma empresa, criando estratégias para melhorar a situação. A fórmula é a seguinte:

Ponto de Equilíbrio = Despesas Fixas/Margem de Contribuição

Como você viu, os indicadores de desempenho financeiro fazem a diferença na condução de um negócio e devem ser priorizados. Para acompanhá-los, nada melhor do que dispor de um software de gestão integrada, o investimento ideal para aumentar a lucratividade da sua empresa.

E você, gostou das nossas dicas? Aproveite, então, e compartilhe este post em suas redes sociais, levando uma informação de qualidade aos seus amigos e familiares.